Venda do Futuro nunca será paga

O município de Campos dos Goytacazes passa por grave crise financeira e quanto a isso não restam dúvidas. Com exceção daqueles que fazem política rasteira e sem qualquer fundamento, os que analisam friamente os números sabem que o legado deixado pelos ex-governadores é pavoroso.

Para os que não sabem e para aqueles que fingem desconhecer o primeiro empréstimo ocorreu em 2014, quando Rosinha pegou emprestado 304.060.246,84 milhões e pagou, somente de juros, pasmem, R$ 54 milhões. Ou seja, nos cofres da PMCG entraram apenas R$ 250 milhões.

O segundo empréstimo ocorreu em 2015, no valor de R$ 308.791.113,78 milhões, chegando aos cofres municipais, apenas R$ 200,8 milhões, pagando de juros, aproximadamente R$ 109 milhões de reais.

O terceiro e último endividamento proporcionado pelo grupo que governou o município por oito anos foi de R$ 562 milhões, sendo que Campos dos Goytacazes recebeu apenas 367 milhões. Nesse caso, a diferença, de 195 milhões aproximadamente ficou para pagar os débitos anteriores, segundo eles disseram.

Diante dados, se o governo Rafael noticia que paga 10% de juros, mensalmente, a PMCG desembolsa, todo o mês, aproximadamente R$ 36 milhões de reais, um pouco para mais ou para menos, que são direcionados na hora para a Caixa Econômica Federal.

Se analisarmos em termos de juros e o que foi, supostamente deixado para pagar débitos anteriores, desde o primeiro empréstimo feito por Rosinha, a Prefeitura de Campos já perdeu R$ 358 milhões de reais aproximadamente. Detalhe: não estou incluindo nesse cálculo aproximado, as outras rubricas que são utilizadas para efeitos de cálculos, além dos juros citados acima.

Diante dessa abordagem, fica nítido que em hipótese alguma, a ‘venda do futuro’ será paga. O próximo prefeito de Campos, que irá governar a cidade em 2021, continuará pagando juros altíssimos, com receita dos royalties oscilando para baixo e com arrecadação própria insuficiente.

Nesse contexto, quais os motivos que ainda fazem os pré-candidatos a prefeito de Campos não apresentarem uma solução sequer para que nosso município não fique cada vez mais afundado na crise? Onde estão as soluções dos economistas de plantão, que analisam o orçamento municipal, mas são incapazes de realizarem um estudo profundo sobre os valores dos empréstimos e também, para onde eles foram direcionados na prática, realizando uma planilha de custo e benefício do valor aportado?

A solução para o nosso município é voltar a ter crédito fora dos nossos limites, trabalhar para que as empresas privadas acreditem em nosso potencial e aqui se instalem, pois dessa forma, a abertura de novos postos de trabalho irão gerar mais CTPSs assinadas e isso, na prática quer dizer mais gente independente, ou seja, estudando, comendo todos os dias, cuidando da saúde e complementando com laser as suas horas de descanso. Isso significa: DIGNIDADE!

Quem quer ser prefeito mesmo?

Share

LEIS CLÁUDIO ANDRADE • 1 – Lei nº 8.750, de 11 de maio de 2017, que dispõe sobre a obrigatoriedade de ser franqueado ao consumidor o acesso à cozinha e outras dependências de restaurantes, hotéis e similares no Município de Campos dos Goytacazes. • 2 – Lei nº 8.760, de 29 de junho de 2017, que dispõe sobre a obrigatoriedade de hotéis e estabelecimentos similares oferecerem desjejum apropriado a diabéticos e celíacos no Município de Campos dos Goytacazes. • 3 – Lei nº 8.775, de 20 de outubro de 2017, que estabelece uma política de Combate à Corrupção e a impunidade de agentes públicos no âmbito Municipal e cria o Dia Municipal de Combate à Corrupção. • 4 – Lei nº 8.788, de 30 de outubro de 2017, que Institui no Calendário de Eventos de Campos dos Goytacazes, a Semana de Conscientização Sobre a Alergia Alimentar, realizada anualmente, na terceira semana do mês de Maio. • 5 – Lei nº 8.806, de 21 de dezembro de 2017, que dispõe sobre a proibição do uso, no Município de Campos de produtos, materiais ou artefatos que contenham quaisquer tipo de amianto ou outros minerais que, acidentalmente, tenham fibras na sua composição. • 6 – Lei nº 8.808, de 21 de dezembro de 2017, que dispõe sobre a Política de Valorização à Vida e cria a Semana de Prevenção ao Suicídio. • 7 – Lei nº 8.835, de 22 de maio de 2018, que dispõe sobre atendimento prioritário para pessoas que realizam tratamento de quimioterapia, radioterapia, hemodiálise ou utilizem bolsa de colostomia, no Município de Campos dos Goytacazes. • 8 – Lei nº 8.838, de 23 de maio de 2018, que dispõe sobre a utilização de mensagens educativas informando o uso indevido de álcool, entorpecentes e de cigarros em shows, eventos culturais, esportivos e similares que sejam voltados para o público infanto-juvenil. • 9 – Lei nº 8.856, de 24 de outubro de 2018, que cria a medalha de mérito evangélico. • 10 – Lei nº 8.864, de 22 de novembro de 2018, que dispõe sobre a obrigatoriedade da apresentação da caderneta de vacinação da criança e do adolescente no ato da matrícula e da rematrícula escolar no município de Campos dos Goytacazes • 11 – Lei nº 8.883, de 17 de dezembro de 2018, que proíbe informes de qualquer natureza em estacionamentos ou similares com dizeres que isentem estabelecimentos comerciais, supermercados, shoppings ou congêneres da responsabilidade por danos materiais e/ou objetos deixados no interior do veículo, no Município de Campos dos Goytacazes e dá outras providências. • 12 – Lei nº 8.904, de 09 de maio de 2019, que dispõe sobre a obrigatoriedade dos estabelecimentos comerciais e financeiros no âmbito do Município de Campos dos Goytacazes oferecer atendimento diferenciado para pessoas com deficiência auditiva e dá outras providências. • 13 – Lei nº 8.945, de 24 de outubro de 2019, que institui a Semana de Conscientização e Prevenção à Alienação Parental e dá outras providências.