Rafael limpa nome de Campos e sentença cita novos casos de corrupção na última gestão

Limpando o nome de Campos.

A notícia da semana pouco noticiada inclusive pelos próprios integrantes do governo municipal (vai entender isso) é que o Prefeito Rafael Diniz conseguiu limpar um pouco o nome do município perante os ógãos fiscalizadores.

A administração da ex-prefeita Rosinha deixou precatórios ‘Bombas’ que só agora foram pagos dando aos órgãos fiscalizadores a possibilidade de devolver ao município de Campos o crédito de bom pagador destruído por Rosinha.

A compra de votos além do Cheque Cidadão.

As ações com a intenção de perpertuar-se no poder não foi apenas operado com o cheque cidadão oferecido de forma desproporcional, sem critério e criminosa.

O magistrado Elias Sader descobriu e relatou em sentença, que o grupo liderado por Garotinho também se valia da entrega de tijolos, cestas básicas e de passagens de ônibus para angariar votos.

Segundo o magistrado, ocorreu um “plano fraudulento de perpetuação de poder e de governança”, que ao meu sentir até hoje causa reflexos terríveis no andar administrativo de nosso município.

Não sou a favor de colocar sempre a gestão passada como o ponto central de todas as dores, pois tem muita coisa que o atual governo pode fazer e ainda não fez, contudo que a gestão passada destruiu financeiramente o município isso é uma verdade absoluta.

Governo comprovadamente corrupto

Lendo as partes da sentença do magistrado Elias Sader fica cada vez mais cristalino que vivemos, até 2016, anos de corrupção liderados pelo casal de ex-governadores (ambos chegaram a ser presos), tanto é verdade que vários vereadores também foram afastados, condenados e alguns presos, sem contar secretários municipais, também envolvidos, segundo a Polícia Federal, nos esquemas de fraude eleitoral.

Falsa conexão com os pobres

Os projetos sociais que Rosinha e seu marido sempre se vangloriam de serem ações em defesa dos pobres é também uma mentira, que por ter sido bem contada se tornou uma verdade. Durante a gestão do casal pouco ou quase nenhuma pessoa migrou dos serviços sociais para o mercado de trabalho.

No programa a Polêmica, apresentado por mim, na Terceira Via Tv, canal 25, entrevistei a ex-secretária de assistência Sana Gimenes que me disse que pouco ou quase ninguém migrou da dependência dos programas sociais para a independência de uma CTPS assinada. Isso demonstra que o intuito da gestão garotista sempre foi o escravagismo político através de doses homeopáticas de sobrevida.

Embriões perigosos

Alguns já anteciparam o processo eleitoral de 2020 e acho que cobrar da atual gestão resultados é algo legítimo, correto e digno. Contudo, temos que ter olhos cirúrgicos para que possamos identificar se essas críticas estão vindo de pessoas compromissadas com o futuro da cidade (tem muita cobrança correta e justa feita por gente de bem) ou são apenas reclames vindos de peças de uma engrenagam falsa que visa trazer de volta para Campos o ‘ilusionismo assistencialista’, que por onde passou varreu tudo que era produtivo deixando apenas terra árida e infértil.

Share

LEIS CLÁUDIO ANDRADE • 1 – Lei nº 8.750, de 11 de maio de 2017, que dispõe sobre a obrigatoriedade de ser franqueado ao consumidor o acesso à cozinha e outras dependências de restaurantes, hotéis e similares no Município de Campos dos Goytacazes. • 2 – Lei nº 8.760, de 29 de junho de 2017, que dispõe sobre a obrigatoriedade de hotéis e estabelecimentos similares oferecerem desjejum apropriado a diabéticos e celíacos no Município de Campos dos Goytacazes. • 3 – Lei nº 8.775, de 20 de outubro de 2017, que estabelece uma política de Combate à Corrupção e a impunidade de agentes públicos no âmbito Municipal e cria o Dia Municipal de Combate à Corrupção. • 4 – Lei nº 8.788, de 30 de outubro de 2017, que Institui no Calendário de Eventos de Campos dos Goytacazes, a Semana de Conscientização Sobre a Alergia Alimentar, realizada anualmente, na terceira semana do mês de Maio. • 5 – Lei nº 8.806, de 21 de dezembro de 2017, que dispõe sobre a proibição do uso, no Município de Campos de produtos, materiais ou artefatos que contenham quaisquer tipo de amianto ou outros minerais que, acidentalmente, tenham fibras na sua composição. • 6 – Lei nº 8.808, de 21 de dezembro de 2017, que dispõe sobre a Política de Valorização à Vida e cria a Semana de Prevenção ao Suicídio. • 7 – Lei nº 8.835, de 22 de maio de 2018, que dispõe sobre atendimento prioritário para pessoas que realizam tratamento de quimioterapia, radioterapia, hemodiálise ou utilizem bolsa de colostomia, no Município de Campos dos Goytacazes. • 8 – Lei nº 8.838, de 23 de maio de 2018, que dispõe sobre a utilização de mensagens educativas informando o uso indevido de álcool, entorpecentes e de cigarros em shows, eventos culturais, esportivos e similares que sejam voltados para o público infanto-juvenil. • 9 – Lei nº 8.856, de 24 de outubro de 2018, que cria a medalha de mérito evangélico. • 10 – Lei nº 8.864, de 22 de novembro de 2018, que dispõe sobre a obrigatoriedade da apresentação da caderneta de vacinação da criança e do adolescente no ato da matrícula e da rematrícula escolar no município de Campos dos Goytacazes • 11 – Lei nº 8.883, de 17 de dezembro de 2018, que proíbe informes de qualquer natureza em estacionamentos ou similares com dizeres que isentem estabelecimentos comerciais, supermercados, shoppings ou congêneres da responsabilidade por danos materiais e/ou objetos deixados no interior do veículo, no Município de Campos dos Goytacazes e dá outras providências. • 12 – Lei nº 8.904, de 09 de maio de 2019, que dispõe sobre a obrigatoriedade dos estabelecimentos comerciais e financeiros no âmbito do Município de Campos dos Goytacazes oferecer atendimento diferenciado para pessoas com deficiência auditiva e dá outras providências. • 13 – Lei nº 8.945, de 24 de outubro de 2019, que institui a Semana de Conscientização e Prevenção à Alienação Parental e dá outras providências.