UFF, UFA!!!!!!!!!

Sou professor universitário há dezesseis anos na universidade Candido Mendes em Campos dos Goytacazes e tudo que envolve o meio universitário, seja em relação ao corpo docente e discente, me interessa e mexe como meu DNA acadêmico.
Estou acompanhando com preocupação o desenrolar fatídico na UFF de nossa cidade onde a empresa que cedeu conteiners para os alunos estudarem irá retirá-los por falta de pagamento.
Ao passo que essa situação surreal, desrespeitosa e porque não imoral se desenrola na UFF, temos, nas proximidades da Beira Rio, um ‘elefante branco’ de milhões de reais, inacabados. Uma obra iniciada pelo Governo Federal há muitos anos, que poderá abrigar os alunos da universidade, mas até hoje está ali, feito um prédio fantasma, que retrata o descaso com a educação.
A situação dos alunos da UFF precisa ser combatida de todas as formas possíveis, seja no campo administrativo seja no político. A tradicional UFF não pode sucumbir à inapetência de gestões que até hoje não conseguiram dar dignidade para aqueles que, uma vez formados, com toda a certeza, contribuirão para uma sociedade brasileira mais rica de conhecimento e por consequência, mais libertária.
O Brasil precisa, de uma vez por todas, ser reconhecido como um país que forma e não deforma pessoas. Um território que ensina a pensar e não a bitolar.
A colocação de alunos para estudarem dentro de conteiners já foi uma medida depreciativa e degradante e, agora, na iminência desses depósitos serem retirados, o decreto de descaso está assinado, em desfavor de um dos nossos maiores patrimônios, o estudante.

Na última semana enviei um ofício ao Ministério da Educação cobrando satisfação acerca da obra do prédio da UFF abandonada e, ontem, fiquei sabendo do risco que os alunos da UFF estão correndo de não terem mais estrutura alguma para a tão necessária troca de conhecimento.
Quero, na qualidade de professor universitário, deixar meu voto de repúdio aqueles que permitem que tenhamos alunos expostos ao degredo como se o ensino fosse algo desnecessário, descabido e desimportante.
Como vereador estou me colocando a disposição da reitoria da UFF para tentarmos traçar juntos alguma ação que vise, pelos menos, minimizar esses danos, que com certeza, já são irreparáveis para o alunado campista e para a própria UFF

LEIS CLÁUDIO ANDRADE • 1 – Lei nº 8.750, de 11 de maio de 2017, que dispõe sobre a obrigatoriedade de ser franqueado ao consumidor o acesso à cozinha e outras dependências de restaurantes, hotéis e similares no Município de Campos dos Goytacazes. • 2 – Lei nº 8.760, de 29 de junho de 2017, que dispõe sobre a obrigatoriedade de hotéis e estabelecimentos similares oferecerem desjejum apropriado a diabéticos e celíacos no Município de Campos dos Goytacazes. • 3 – Lei nº 8.775, de 20 de outubro de 2017, que estabelece uma política de Combate à Corrupção e a impunidade de agentes públicos no âmbito Municipal e cria o Dia Municipal de Combate à Corrupção. • 4 – Lei nº 8.788, de 30 de outubro de 2017, que Institui no Calendário de Eventos de Campos dos Goytacazes, a Semana de Conscientização Sobre a Alergia Alimentar, realizada anualmente, na terceira semana do mês de Maio. • 5 – Lei nº 8.806, de 21 de dezembro de 2017, que dispõe sobre a proibição do uso, no Município de Campos de produtos, materiais ou artefatos que contenham quaisquer tipo de amianto ou outros minerais que, acidentalmente, tenham fibras na sua composição. • 6 – Lei nº 8.808, de 21 de dezembro de 2017, que dispõe sobre a Política de Valorização à Vida e cria a Semana de Prevenção ao Suicídio. • 7 – Lei nº 8.835, de 22 de maio de 2018, que dispõe sobre atendimento prioritário para pessoas que realizam tratamento de quimioterapia, radioterapia, hemodiálise ou utilizem bolsa de colostomia, no Município de Campos dos Goytacazes. • 8 – Lei nº 8.838, de 23 de maio de 2018, que dispõe sobre a utilização de mensagens educativas informando o uso indevido de álcool, entorpecentes e de cigarros em shows, eventos culturais, esportivos e similares que sejam voltados para o público infanto-juvenil. • 9 – Lei nº 8.856, de 24 de outubro de 2018, que cria a medalha de mérito evangélico. • 10 – Lei nº 8.864, de 22 de novembro de 2018, que dispõe sobre a obrigatoriedade da apresentação da caderneta de vacinação da criança e do adolescente no ato da matrícula e da rematrícula escolar no município de Campos dos Goytacazes • 11 – Lei nº 8.883, de 17 de dezembro de 2018, que proíbe informes de qualquer natureza em estacionamentos ou similares com dizeres que isentem estabelecimentos comerciais, supermercados, shoppings ou congêneres da responsabilidade por danos materiais e/ou objetos deixados no interior do veículo, no Município de Campos dos Goytacazes e dá outras providências. • 12 – Lei nº 8.904, de 09 de maio de 2019, que dispõe sobre a obrigatoriedade dos estabelecimentos comerciais e financeiros no âmbito do Município de Campos dos Goytacazes oferecer atendimento diferenciado para pessoas com deficiência auditiva e dá outras providências. • 13 – Lei nº 8.945, de 24 de outubro de 2019, que institui a Semana de Conscientização e Prevenção à Alienação Parental e dá outras providências.