Ninguém pode se vangloriar de não apoiar Garotinho

Li algumas matérias em jornais locais aonde o deputado federal Wladimir analisa alguns agentes públicos e parlamentares e os mesmos, por sua vez, fazem suas respectivas defesas.

Inicialmente gostaria de deixar claro que abandonar Garotinho e seus asseclas é uma obrigação ética. É tão necessário como não roubar ou furtar algo de alguém. Sendo assim, aquele que bate no peito e diz que não é mais ou nunca foi seguidor fanático ou capacho do ex-governador, não está fazendo mais do que a obrigação.

Estar ao lado do grupo liderado pelo ex morador da Lapa, hoje morador da casa da ex-empregada é chancelar a existência de um governo que maquiou a cidade e tornou a população pobre, endividada e iludida.

A vantagem do grupo que arruinou as bases administrativas de nosso município, liderada pelo Garotinho é que eles são campeões em marketing, pois transformam um espirro em pneumonia.

Ano que vem temos eleições para prefeito e vereador e algumas personalidades estão desesperadas para se tornarem atores principais no pleito, porém não possuem, como dizia meu avô, cabedal.

As eleições não podem e não irão, se depender do meu esforço, ser polarizada entre o ‘pseudo’ BEM e o ‘pseudo’ MAL. Temos erros e acertos na gestão passada e na atual.

Contudo, as contas que foram reprovadas na Câmara de Campos foram as de Rosinha, a CPI que sugeriu a sua inelegibilidade por oito anos, por formação de quadrilha, teve a minha relatoria, quem foi preso e condenado em primeira e segunda instância foi o ex-governador, logo não tem essa história de lado A e lado B.

Está claro que há novos agentes querendo ocupar espaços no meio da miséria, no alto desemprego, nas deficiências do HGG, nas dificuldades que imperam no HFM, nas problemáticas de iluminação e limpeza pública que ainda permeiam nossa cidade. Porém, nenhum deles apresenta alternativas de melhorias e isso não ocorre por um motivo simples: se as coisas melhorarem, esses animados postulantes irão derreter antes do fim do ano.

Alguns desses políticos, sem projeto ou serviços prestados, se sustentam imersos nos problemas, logo se o jogo virar, eles estão enterrados politicamente.

Na qualidade de vereador não me furtarei em me posicionar acerca dessas movimentações políticas que não são pautadas em qualidade para o município e sim por interesses meramente de poder. Querem o PODER, só o PODER, nada mais do que o PODER.

Quanto a ser ou ter sido aliado de Garotinho, pelo amor de Deus, isso não é histórico qualitativo para ninguém. Na verdade, isso deveria ser condição excludente de postulação para qualquer cargo público.

Vamos trabalhar, fazer leis, visitar as pessoas, atender ao público, ouvir as demandas, ser honesto com os aflitos e parar de maquiar desejos obscuros de poder.
Tem muita novidade vindo por aí……

Share

LEIS CLÁUDIO ANDRADE • 1 – Lei nº 8.750, de 11 de maio de 2017, que dispõe sobre a obrigatoriedade de ser franqueado ao consumidor o acesso à cozinha e outras dependências de restaurantes, hotéis e similares no Município de Campos dos Goytacazes. • 2 – Lei nº 8.760, de 29 de junho de 2017, que dispõe sobre a obrigatoriedade de hotéis e estabelecimentos similares oferecerem desjejum apropriado a diabéticos e celíacos no Município de Campos dos Goytacazes. • 3 – Lei nº 8.775, de 20 de outubro de 2017, que estabelece uma política de Combate à Corrupção e a impunidade de agentes públicos no âmbito Municipal e cria o Dia Municipal de Combate à Corrupção. • 4 – Lei nº 8.788, de 30 de outubro de 2017, que Institui no Calendário de Eventos de Campos dos Goytacazes, a Semana de Conscientização Sobre a Alergia Alimentar, realizada anualmente, na terceira semana do mês de Maio. • 5 – Lei nº 8.806, de 21 de dezembro de 2017, que dispõe sobre a proibição do uso, no Município de Campos de produtos, materiais ou artefatos que contenham quaisquer tipo de amianto ou outros minerais que, acidentalmente, tenham fibras na sua composição. • 6 – Lei nº 8.808, de 21 de dezembro de 2017, que dispõe sobre a Política de Valorização à Vida e cria a Semana de Prevenção ao Suicídio. • 7 – Lei nº 8.835, de 22 de maio de 2018, que dispõe sobre atendimento prioritário para pessoas que realizam tratamento de quimioterapia, radioterapia, hemodiálise ou utilizem bolsa de colostomia, no Município de Campos dos Goytacazes. • 8 – Lei nº 8.838, de 23 de maio de 2018, que dispõe sobre a utilização de mensagens educativas informando o uso indevido de álcool, entorpecentes e de cigarros em shows, eventos culturais, esportivos e similares que sejam voltados para o público infanto-juvenil. • 9 – Lei nº 8.856, de 24 de outubro de 2018, que cria a medalha de mérito evangélico. • 10 – Lei nº 8.864, de 22 de novembro de 2018, que dispõe sobre a obrigatoriedade da apresentação da caderneta de vacinação da criança e do adolescente no ato da matrícula e da rematrícula escolar no município de Campos dos Goytacazes • 11 – Lei nº 8.883, de 17 de dezembro de 2018, que proíbe informes de qualquer natureza em estacionamentos ou similares com dizeres que isentem estabelecimentos comerciais, supermercados, shoppings ou congêneres da responsabilidade por danos materiais e/ou objetos deixados no interior do veículo, no Município de Campos dos Goytacazes e dá outras providências. • 12 – Lei nº 8.904, de 09 de maio de 2019, que dispõe sobre a obrigatoriedade dos estabelecimentos comerciais e financeiros no âmbito do Município de Campos dos Goytacazes oferecer atendimento diferenciado para pessoas com deficiência auditiva e dá outras providências. • 13 – Lei nº 8.945, de 24 de outubro de 2019, que institui a Semana de Conscientização e Prevenção à Alienação Parental e dá outras providências.