Oposição oportunista é câncer a ser extirpado

Na vida, nós precisamos ter lado, seja ele desgastante ou não. O ato de estar em cima do muro é algo que gera uma desconfiança danada e pode causar um rótulo muito ruim para quem faz essa opção.

Na política isso não é diferente e por incrível que pareça, há políticos com mandato que acham isso um charme, um verdadeiro ‘up grade’ qualitativo.
Ser da base é trazer para si também, o ônus administrativo das ações do poder executivo. Contudo, em vários casos, melhor estar acreditando em um governo que ainda anda em lama passada, do que representar um passado que virou livro de direito penal.

Entendo mais sadio receber os reclames da população que querem uma saúde melhor, transporte de qualidade, luz por todo o município do que ser associado a pessoas envolvidas em ações criminais que resultam, toda hora, em prisões, tornozeleiras eletrônicas, cassações de mandato, algemas e execração pública.

Difícil ser vidraça, mas as pedradas, quando chegam de quem reconhece os danos do passado e cobra pautado no direito inalienável de cobrar, é natural e merece todo o nosso respeito, todavia, quando sai da boca de quem esteve lá dentro e só praticou o assistencialismo tendo como pano de fundo, os cargos de secretários, assessores e parlamentares é repugnante.

Ser da base não significa estar estagnado ou possuir ‘dobradiça na coluna’. Quem quer ser base e deseja ser reconhecido como um legítimo representante do povo, cobra, oficia, se expõe, arruma desgaste pessoal, mas segue em frente, correndo todos os riscos, inclusive em seu capital político.

O que parece uma anomalia é ser assecla de condenados, de chefes de governo que estão na lama, por usarem o erário para fazer dos mais necessitados, massa de manobra.

Medíocre é ser apaixonado pelo mal, pelas condutas que ‘cheiram podre’, pelos governantes que acabaram com o erário, que privaram centenas de pessoas de estarem hoje com dignidade e terem o livre direito ao voto.

Explicar a população os motivos pelos quais muita coisa ainda não aconteceu e que outras estão engessadas é ainda mais verdadeiro do que ir para uma emissora de rádio e ‘babar’ ouvindo condenados por crimes eleitorais, por apropriação indébita, dentre outros delitos, se passarem como os arautos da moralidade.

Quem se junta com porco, farelo come!

Percebo que há muito sujo com aspecto de limpo tentando se fazer nas ‘costas’ dos homens de bem.

Alguns agentes públicos estão tentando antecipar o processo eleitoral de 2020 tendo como pano de fundo os milhares de problemas que a população está atravessando e isso precisa ser desmascarado o quanto antes.

A maioria dessas pessoas esteve lá, dentro daqueles governos que saquearam os cofres públicos e através de uma mídia competente e cara, criou a maior e mais sem vergonha cortina de fumaça ilusória que já se teve notícia.

Que 2019 seja um ano propositivo, mas se houver nódulos cancerígenos a serem extirpados, vamos aos remédios, sejam eles doces ou amargos.

Share