A crise daquilo que não vemos

Por Cláudio Andrade.
A paralisação dos caminhoneiros apresentou para o povo brasileiro a enorme fratura que possuímos quando estamos falando do escoamento de nossos produtos e do ir e vir da prestação de serviços.
Todos os governos da história recente de nosso país abandonaram o investimento nas linhas férreas que cortam todo o nosso território de dimensões continentais.
Caso tivéssemos políticos com visão essas linhas de trem já estariam em funcionamento e todo o nosso gasto nas estradas seriam amenizados. Menos acidentes, tributos, taxas, rebites, assaltos e assassinatos. Tudo isso em menor escala se utilizássemos os trens.
Todavia esse não é o tema central. O grande lance que gerou essa paralisação e que irá ser motivo para muitas outras é a quantidade indecente de tributos que pagamos para o governo federal, estadual e municipal sem que não consigamos, na prática, vislumbrar aonde eles são utilizados.
Ruas esburacadas, mato alto nas pistas, postes caindo, hospitais públicos em frangalhos, iluminação pública caótica, homicídios minuto a minuto transformam nosso cotidiano mais duro e desanimador.
O brasileiro não aguenta mais pagar e não ter contrapartida. O cidadão vê, todos os anos, vários meses sendo subtraídos de sua vida, pois são derretidos com o pagamento do chamado “quinto dos infernos”.
A ação dos caminhoneiros é justa e só obteve uma posição, ainda que ‘capenga’ do governo federal, por ter atingido a coluna vertebral da população, ou seja, comprometeu o ir e vir do povo e a alimentação de todos independentes de nível social, mesmo em gradação diferente.
A saúde e a educação já estão sendo castigadas há anos, logo continuam onde sempre estiveram, ou seja, no limbo.
Com bem disse o escritor inglês Lewis Carroll (1832/1898): “tudo tem uma moral, basta encontra-la”.
Vamos aguardar qual será a moral dessa paralisação e os efeitos práticos dela no cotidiano dos contribuintes brasileiros.
Share

LEIS CLÁUDIO ANDRADE • 1 – Lei nº 8.750, de 11 de maio de 2017, que dispõe sobre a obrigatoriedade de ser franqueado ao consumidor o acesso à cozinha e outras dependências de restaurantes, hotéis e similares no Município de Campos dos Goytacazes. • 2 – Lei nº 8.760, de 29 de junho de 2017, que dispõe sobre a obrigatoriedade de hotéis e estabelecimentos similares oferecerem desjejum apropriado a diabéticos e celíacos no Município de Campos dos Goytacazes. • 3 – Lei nº 8.775, de 20 de outubro de 2017, que estabelece uma política de Combate à Corrupção e a impunidade de agentes públicos no âmbito Municipal e cria o Dia Municipal de Combate à Corrupção. • 4 – Lei nº 8.788, de 30 de outubro de 2017, que Institui no Calendário de Eventos de Campos dos Goytacazes, a Semana de Conscientização Sobre a Alergia Alimentar, realizada anualmente, na terceira semana do mês de Maio. • 5 – Lei nº 8.806, de 21 de dezembro de 2017, que dispõe sobre a proibição do uso, no Município de Campos de produtos, materiais ou artefatos que contenham quaisquer tipo de amianto ou outros minerais que, acidentalmente, tenham fibras na sua composição. • 6 – Lei nº 8.808, de 21 de dezembro de 2017, que dispõe sobre a Política de Valorização à Vida e cria a Semana de Prevenção ao Suicídio. • 7 – Lei nº 8.835, de 22 de maio de 2018, que dispõe sobre atendimento prioritário para pessoas que realizam tratamento de quimioterapia, radioterapia, hemodiálise ou utilizem bolsa de colostomia, no Município de Campos dos Goytacazes. • 8 – Lei nº 8.838, de 23 de maio de 2018, que dispõe sobre a utilização de mensagens educativas informando o uso indevido de álcool, entorpecentes e de cigarros em shows, eventos culturais, esportivos e similares que sejam voltados para o público infanto-juvenil. • 9 – Lei nº 8.856, de 24 de outubro de 2018, que cria a medalha de mérito evangélico. • 10 – Lei nº 8.864, de 22 de novembro de 2018, que dispõe sobre a obrigatoriedade da apresentação da caderneta de vacinação da criança e do adolescente no ato da matrícula e da rematrícula escolar no município de Campos dos Goytacazes • 11 – Lei nº 8.883, de 17 de dezembro de 2018, que proíbe informes de qualquer natureza em estacionamentos ou similares com dizeres que isentem estabelecimentos comerciais, supermercados, shoppings ou congêneres da responsabilidade por danos materiais e/ou objetos deixados no interior do veículo, no Município de Campos dos Goytacazes e dá outras providências. • 12 – Lei nº 8.904, de 09 de maio de 2019, que dispõe sobre a obrigatoriedade dos estabelecimentos comerciais e financeiros no âmbito do Município de Campos dos Goytacazes oferecer atendimento diferenciado para pessoas com deficiência auditiva e dá outras providências. • 13 – Lei nº 8.945, de 24 de outubro de 2019, que institui a Semana de Conscientização e Prevenção à Alienação Parental e dá outras providências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.